Bandas Independentes 

entrevista com a*lona, banda de rock independente

Mesmo com todo caos vivido nos últimos tempos, as bandas independentes têm se feito das tripas coração para seguir em frente, e vêm lutando para conseguir se manter cada vez mais vivas. E entre elas está essa banda que vem crescendo muito no cenário do rock autoral nacional, a banda A Lona, que me concedeu uma entrevista onde conta toda sua trajetória.

*Bom vamos começar logo e logico pelo começo, quando surgiu a banda, de onde são, e se desde o início ela tem a mesma formação?

Olá, Lis!!! Obrigado pela oportunidade! Vamos lá! A banda surgiu em março de 2009. Formamos a banda para tocarmos covers em churrascos de amigos e nos divertir!  Da formação inicial temos o Dennis (vocal) e Fernando Trone (guitarras)

*Outro dia li algo sobre a história por trás da ideia para o nome da banda, você pode me contar melhor sobre esse dia louco?

Exatamente assim, por causa de um desses churrascos o nome surgiu. Estávamos tocando numa dessas festas em um belo dia de sol e calor e no meio da apresentação se formou uma chuva muito forte. A galera estava tão empolgada com o som que resolveram estender uma lona gigante para servir como cobertura para que o som não parasse. A situação repercutiu e depois desse dia muita gente começou a nos chamar de banda da lona! rs  Daí até assumirmos de vez esse nome não demorou muito.

*Além da banda, os integrantes têm outras atividades paralelas?

Sim, Dennis é gerente de RH em uma empresa. Fernando atua como profissional de TI em uma empresa e o Luís também atua em RH em uma multinacional.

*Quais são as influências mais fortes que a banda admira?

Nosso berço é o rock anos 80 e principalmente anos 90, na nossa opinião uma das principais décadas para o gênero no mundo! E falando dessa época não há como não falar das cenas de grunge, hardcore e hardrock. Bandas como Foo Fighters, Raimundos, Barão Vermelho, Alice In Chains, Nirvana, Stone Temple Pilots, Charlie Brown JR, e outras.

*Como vocês definiriam suas músicas, quem escreve as letras, faz as composições, e de onde vem a inspiração?

O processo de composição foi bem diverso, mas na maioria das vezes o Fernando trouxe uma base melódica e as letras foram compostas pelo Dennis. A inspiração é sempre de uma visão ou olhar da nossa realidade ou da nossa relação com os dilemas da vida.

*Quantos lançamentos a banda tem na carreira?

Lançamos nosso primeiro EP em 2014. Essa foi nossa primeira experiência com as músicas autorias e isso fica muito claro nos arranjos e letras, sabe?

Em 2018 lançamos um álbum que consideramos um divisor de águas, tanto na maturidade do som, quanto na nossa experiência em estúdio.

*Ao ouvir as músicas da banda, logo se sente que por trás de cada letra vem uma mensagem especial, o que vocês podem nos falar sobre essas mensagens, sobre as reflexões que elas nos trazem?

Acreditamos que nossa grande mensagem é o de viver os sentimentos, sejam bons ou ruins, sabe? Tem músicas mais animadas ou agitadas, outras questionadoras, mas sempre viscerais nos arranjos e letras. Então acreditamos que seja isso: a mensagem de viver o que vier!

*O trabalho das bandas independentes sempre foi um caminho mais árduo à se traçar no nosso país, e com todo esse cenário atual que estamos vivendo, onde vocês se apoiam para manter a banda ativa?

Tudo isso que estamos vivendo tem sido muito desafiador! Em 2019 tivemos a oportunidade de tocar todos os meses em vários locais e isso gerou mais maturidade de palco, interação com o público e nos levou a lugares e pessoas que nunca imaginamos. Quando a pandemia chegou, confesso que tudo estagnou, mas como te disse, o espírito da banda é viver, mesmo em momentos complicados. E nesse período gravamos nosso último single e lançamos o clipe, o que surtiu um resultado muito bom e mesmo sem fazer show e sem interação mais próxima com as pessoas conseguimos nos conectar com o público!

*Tem algum fato assim, engraçado ou bizarro que a banda já passou para vocês nos contar?

O underground faz a gente ter muita história para contar. Mas nada tão específico, mas na estrada e com pouco recurso já rolou de tudo! Equipamento que quebram na hora do show, tocar em um palco gigante para uma única pessoa e bêbada, enfim, coisas do underground… haha

*Quais são os futuros projetos da banda?

Esse ano vamos lançar mais músicas e clipes, acho que nesse período é o que nos cabe enquanto artistas, produzir! Conectar através da música!

Agradeço demais aos amigos da banda A Lona, pela entrevista, estaremos junto, acompanhando de perto toda trajetória de vocês, esperamos que logo tudo mude, que os shows possam voltar e que vejamos muito vocês por ai!!!

E enquanto precisamos manter todos os cuidados devido a pandemia pelo COVID19, vamos acompanhando o trabalho da banda nas principais plataformas musicais e nas redes sócias.

Como considerações finais a banda nos deixa essa forte mensagem de encorajamento e esperança num futuro melhor:

Esperança!  A mensagem é esperança! Historicamente o rock sempre se fortaleceu após tragédias, mudanças drásticas no comportamento humano. Acreditamos que o rock sairá fortalecido desse momento! Quando isso acabar, tudo que está sendo feito agora poderá chegar às mãos do público em shows e eles estarão sendeiros por isso! E nós estaremos na área! O rock vive!

Enquanto os shows não são possíveis, deixo aqui para vocês curtirem o clipe da música ” Cada Passo Até Aqui”

Gostou? Curta, compartilhe…

O Rock não tem regras, tem atitude…

Por Lis Hirt

hipnozerock@ehbwebrock.com.br

@hipnozerock